A importância do cinto de segurança

Desde 1998, existe uma regulamentação federal que determina que o cinto de segurança automotivo instalado de fábrica seja o tipo de três pontos, com graduação vertical e retrátil. Não usar o cinto de segurança é uma das infrações que mais geram multas de trânsito e seus respectivos recursos.

A obrigatoriedade do uso do cinto de segurança nas cidades e estradas brasileiras estendeu-se às crianças em 2008. Os condutores deverão manter as crianças no banco traseiro equipados com cinto de segurança para criança, adaptado à faixa etária, ou cadeiras de segurança certificadas pelo INMETRO.

A importância do cinto de segurança

  • O cinto de segurança é o único dispositivo que garante a integridade dos ocupantes em caso de colisão frontal (não se iludam com os air bags. Eles são apenas complementos que impedem escoriações).
  • Uma pessoa de 70 quilos dentro de um carro que colide a 60 km/h é arremessado para a frente como se tivesse quase uma tonelada. Sem o cinto de segurança, a pessoa pode atravessar o para-brisa, aumentando a possibilidade de óbito.
  • O cinto de segurança no banco de trás é obrigatório e tão importante quanto o dianteiro. Usando o mesmo exemplo da pessoa de 70 quilos em uma colisão frontal a 60 km/h, além dos graves ferimentos contra quem está no banco traseiro, o motorista ou ocupante do banco do carona recebe todo o impacto do corpo acelerado. Mesmo que as pessoas nos bancos dianteiros estejam usando o cinto, os ferimentos são inevitáveis e muito graves.

Um dos mais brilhantes comerciais que ilustram a importância do uso do cinto de segurança vem do Reino Unido. A Sussex Safer Roads veiculou uma peça publicitária que mostra o quanto é vital o uso do cinto de segurança sem sequer usar um carro no filme. O resultado é tão impressionante que o vídeo é usado em diversas autoescolas, inclusive aqui no Brasil.

Compartilhe suas ideias! Deixe um comentário...

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.